Facebook
Twitter
Twitter
Google +
Home  |   WebMail  |   Fale Conosco
Publicada: 07/02/2018 12:25:59-MT
Valdívia terá de superar questão física e concorrência no São Paulo
Foto:

Na iminência de ser anunciado como sexto reforço do São Paulo para 2018, Valdívia não deverá iniciar sua trajetória no clube como titular. Antes de conquistar tal condição, o meia-atacante terá de se mostrar completamente recuperado fisicamente e superar a concorrência dos novos companheiros.

A justificativa do Atlético-MG para afastá-lo dos últimos treinos, inclusive, foi justamente a questão física. Fora dos planos do técnico Oswaldo de Oliveira, Valdívia passou a trabalhar separadamente na academia da Cidade do Galo.

Aos 23 anos, o jogador sofreu uma grave lesão no joelho esquerdo no fim de 2015, quando atuava pelo Internacional. Desde então, não conseguiu repetir o futebol que o credenciou a ser cogitado entre os selecionáveis para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

Rebaixado com o Colorado naquela temporada, acabou sendo emprestado ao Atlético-MG até maio deste ano. No Galo, contudo, não se firmou e marcou apenas dois gols em um total de 33 partidas pelo clube, que não fez questão de mantê-lo até o fim do contrato.

Em 2018, foi a campo somente duas vezes, sendo a última delas na derrota por 2 a 1 para o Villa Nova, pelo Campeonato Mineiro, em 25 de janeiro. Com a condição física a ser aprimorada, trabalhou na academia do CT da Barra Funda na última terça-feira, enquanto os demais jogadores treinaram em campo visando ao duelo com o Bragantino, nesta noite, no Morumbi.

Com aval da comissão técnica, Valdívia possui as características requisitadas por Dorival Júnior. O treinador o vê como a opção que faltava para as beiradas de campo em seu esquema de velocidade.

Com o contrato válido até o fim de 2018 assinado, Valdívia terá companhia numerosa na briga por um lugar na equipe. Em sua posição, ele terá as concorrências de Marcos Guilherme, Cueva, Brenner, Shaylon, Morato, Caíque e Marquinhos Cipriano. Todos que podem atuar pelas pontas, portanto.

Destes, os dois primeiros são titulares. Na linha ofensiva de quatro armadores, Nenê e Petros atuam mais centralizados, enquanto que, mais à frente, Diego Souza tem sua vaga garantida como centroavante.

Com ele, o clube fechará o ciclo de contratações neste início de ano. Antes, o Tricolor havia trazido o goleiro Jean (Bahia), o meia-atacante Diego Souza (Sport), o zagueiro Anderson Martins (Vasco), o meia Nenê (Vasco), e o centroavante Tréllez (Vitória).

 

Fonte: Gazeta Esportiva



PUBLICIDADE