Facebook
Twitter
Twitter
Google +
Home  |   WebMail  |   Fale Conosco
Publicada: 20/09/2017 12:00:18-MT
Pátio não honra pagamentos e aeroporto corre risco de suspender vôos comerciais
Foto:

O aeroporto Maestro Marinho Franco, em Rondonópolis, corre o risco de ter todos os vôos cancelados. Um ofício assinado pela então gerente Daiane Tobias dos Reis, nesta terça (19), informa o prefeito Zé do Pátio (Solidariedade) de que todas as operações serão suspensas.

A medida drástica pode ser tomada devido ao "calote" da prefeitura que tem atrasado repasses relativos ao combustível para Van e salários de bombeiros e policiais civis. O curioso é que este foi o último ofício assinado por Daiane, que já estava descontente com a situação e havia solicitado a exoneração. Por isso, o aeroporto encontra-se sem gerência.
 
O imbróglio ocorre desde janeiro deste ano, quando a prefeitura deixou de pagar dois policiais civis que atuam no local e dois bombeiros militares. Além disso, não abriu licitação de combustível, o que fez com que a Van que busca os funcionários no perímetro urbano deixasse de circular pela falta de abastecimento, uma vez que o aeroporto fica distante 30 km.

O Marinho Franco conta com 30 funcionários entre efetivos e terceirizados e funciona 24h. Atualmente trabalha com dois vôos comerciais diários, pelas empresas Passaredo e Azul. Por dia usufruem dos serviços cerca de 140 pessoas, sendo aproximadamente 70 em cada vôo.

Conforme a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), para que o aeroporto de Rondonópolis funcione são necessários quatro bombeiros. Neste sentido, dois são cedidos pelo governo estadual e dois pela prefeitura. Além deles, também atuam dois policiais civis que vistoriam o setor de embarque. Entretanto, a prefeitura deixou de pagar os salários dos dois bombeiros e dos civis desde janeiro.

Para evitar que somente dois oficiais militares trabalhem, nesta terça (19), após diversas conversas, foi providenciada uma escala especial até sexta (22), com a promessa de que os pagamentos serão regularizados. Caso o acordo não seja cumprido, os bombeiros vão cruzar os braços. Já a situação dos policiais civis ainda não está resolvida.

“A rotina do aeroporto permanece a mesma, pontua secretário Metello”

Em nota, o secretário municipal de Transporte e Trânsito, Rodrigo Metello, informa que o aeroporto está operando normalmente com todos os equipamentos necessários de acordo com o que as normas recomendam para a atividade.

Metello esclarece que o documento que circula desde ontem é apenas um comunicado e reafirma que, como em todos os dias, ontem e hoje houve pousos e decolagens na pista. “A rotina do aeroporto permanece a mesma”, pondera.

Aeroporto

Inaugurado em 13 de setembro de 2000, o aeroporto homenageia o compositor e saxofonista Marinho de Oliveira Franco, mais conhecido como Maestro Marinho Franco, que faleceu em 8 de março de 2000 aos 88 anos. Antes funcionava com o nome Salmen Hanze, na entrada da cidade às margens da BR-163. Aproximadamente em 2008 foi transferido para o km 109, que fica a cerca de 30 km do centro de Rondonópolis.

 
 

 

Fonte: RD News



PUBLICIDADE