Facebook
Twitter
Twitter
Google +
Home  |   WebMail  |   Fale Conosco
Publicada: 19/03/2018 11:33:16-MT    -    Atualizada: 19/03/2018 11:34:31-MT
Professor de MT é preso em flagrante por assediar adolescente; Sintep repudia ato
Foto:

O professor e presidente do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público do Estado (Sintep-MT), subsede Campos de Júlio (a 533 km de Cuiabá), E.C.G., de 38 anos, foi preso pela Polícia Civil no sábado (17), sob a acusação de assediar sexualmente um estudante de 16 anos.

A prisão do suspeito ocorreu após a mãe do menor ter visto no celular da vítima mensagens e fotos de conteúdo pornográfico, incitando o adolescente a praticar relação sexual com o investigado.

Na casa do professor foram apreendidos materiais de mídia diversos, como computador, HD, pendrive e cartões de memória, que serão encaminhados para análise da Politec.

Encaminhado à delegacia, o homem foi autuado em flagrante pelo assédio sexual, e aguarda preso até o pagamento da fiança arbitrada em R$ 12 mil. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Sintep

O presidente estadual do Sintep, Henrique Lopes, afirma que a posição da entidade é muito clara independente do posto que a pessoa ocupe, ou seja, repudia qualquer situação em que se coloque a integridade moral dos estudantes.

“Tudo aquilo que foge ao princípio pedagógico o sindicato sempre se manifesta contrário a estas questões, principalmente quando envolve abusos sexuais. Pois vai contra inclusive a proteção dos jovens e adolescentes. E, por conta disso, o Sintep jamais vai compactuar com esse tipo de situação”, pontua.

Henrique ressalta que a entidade se coloca em uma posição de certa cautela, pois deve ser assegurada a possibilidade de ampla defesa do suspeito. “Precisa-se que estabeleça o contraditório para que os fatos sejam apurados e que a verdade venha a tona, e uma vez apurado os fatos e comprovada a culpabilidade de quem quer que seja, que sejam tomadas as medidas cabíveis. Então, não vamos fazer nenhuma medida de condenação e absolvição, mas precisamos aguardar os rumos das investigações”, conclui.

 

Fonte: RD News



PUBLICIDADE