Facebook
Twitter
Twitter
Google +
Home  |   WebMail  |   Fale Conosco
Publicada: 22/09/2017 11:02:59-MT
Aplicativo de transporte Uber é proibido de operar em Londres
Foto:

O aplicativo Uber perdeu a sua licença para operar em Londres, capital da Inglaterra, informou nesta sexta-feira (22) a TfL (Transport for London). A decisão surpreendente caracterizou a operadora de serviços de carros como “inapropriada e inapta”. O Uber anunciou que recorrerá imediatamente da decisão.

A medida deve afetar 40 mil motoristas em uma das maiores cidades em que o aplicativo opera. A agência reguladora considerou que a empresa não é adequada para funcionar como operadora de aluguel de transporte privado. O último dia da atual licença do Uber é 30 de setembro. A decisão, porém, não afetou o serviço de delivery de comida UberEATS, informou um porta-voz do Uber.

“A abordagem e a conduta do Uber demonstraram falta de responsabilidade corporativa, que poderia ter potenciais implicações de segurança pública”, afirmou a TfL. A empresa repudiou a decisão, que, segundo ela, “mostra ao mundo que Londres está fechada para empresas inovadoras”. O aplicativo foi forçado a abandonar diversos países, incluindo Dinamarca e Hungria, além de enfrentar batalhas regulatórias em vários Estados americanos.

O prefeito de Londres, Sadiq Khan, afirmou que apoia a decisão da TfL. A agência anunciou ter recusado um terço das licenças solicitadas para a operação de serviços de carros nos últimos 12 meses. Tom Elvidge, gerente geral do Uber em Londres, disse que “os 3,5 milhões de londrinos que usam nosso app e os mais de 40 mil motoristas licenciados que dependem do Uber para ganhar a vida ficarão atônitos com essa decisão”.

“Para defender o ganha-pão desses milhares de motoristas e a liberdade de escolha como consumidores dos milhões de londrinos que usam nosso app, pretendemos contestar a decisão imediatamente nos tribunais”, declarou Elvidge.

Em agosto, a TfL anunciou ter recebido uma carta da Scotland Yard (a polícia metropolitana londrina) mencionando preocupações sobre a decisão do Uber de não reportar três incidentes sexuais e violentos entre motoristas e passageiros neste ano. A TfL alertou, então, que a carta influenciaria sua decisão sobre se o Uber seria ou não autorizado a continuar operando em Londres por mais cinco anos.

O Uber negou que representasse ameaça à segurança dos passageiros e disse que sempre seguia as regras. “Os motoristas que usam o Uber são licenciados pela Transport for London e passaram pelas mesmas verificações do DBS [agência do governo britânico que verifica antecedentes de trabalhadores] a que os motoristas dos táxis oficiais são submetidos. Nossa tecnologia pioneira foi ainda além para reforçar a segurança. Cada corrida é acompanhada e registrada por GPS”, destacou a empresa.

 

Fonte: O Sul



PUBLICIDADE