Facebook
Twitter
Twitter
Google +
Home  |   WebMail  |   Fale Conosco
Publicada: 19/09/2017 10:33:36-MT
Em discurso na Assembleia Geral da ONU, Temer diz que o desmatamento da Amazônia caiu 20%
Foto:

O presidente Michel Temer afirmou que houve uma redução de 20% no desmatamento da Amazônia no último ano durante o discurso de abertura da 72ª Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas), na manhã desta terça-feira (19), em Nova York (EUA).

“O Brasil orgulha-se de ter a maior cobertura de florestas tropicais do planeta. O desmatamento é questão que nos preocupa, especialmente na Amazônia. Nessa questão temos concentrado atenção e recursos. Pois trago a boa notícia de que os primeiros dados disponíveis para o último ano já indicam diminuição de mais de 20% do desmatamento naquela região. Retomamos o bom caminho e nesse caminho persistiremos”, declarou.

As declarações na ONU foram dadas após o seu governo ter sido acusado por ONGs (organizações não-governamentais) e ambientalistas de ceder a interesses comerciais em detrimento do meio ambiente com a publicação do decreto sobre a extinção da Renca (Reserva Nacional do Cobre e Associados) e a liberação da exploração mineral em parte da área.

“Novo Brasil”

O presidente brasileiro também destacou as reformas que o seu governo está implementando. “O Brasil atravessa momento de transformações decisivas. Com reformas estruturais, estamos superando uma crise econômica sem precedentes. Estamos resgatando o equilíbrio fiscal. E, com ele, a credibilidade da economia. Voltamos a gerar empregos. Recobramos a capacidade do Estado de levar adiante políticas sociais indispensáveis em um país como o nosso”, afirmou.

“Aprendemos e estamos aplicando, na prática, esta regra elementar: sem responsabilidade fiscal, a responsabilidade social não passa de discurso vazio. O novo Brasil que está surgindo das reformas é um país mais aberto ao mundo”, completou.

Temer defendeu ainda um sistema de “comércio internacional aberto e baseado em regras”. No fim de agosto, a OMC (Organização Mundial do Comércio) pediu que o Brasil tire em 90 dias subsídios industriais, após queixas da União Europeia e do Japão contra uma série de incentivos do governo a setores da indústria nacional.

Venezuela

Sobre a Venezuela, Temer destacou a deterioração dos direitos humanos no país e disse que o Brasil está “ao lado do povo venezuelano”. Ele destacou que o país tem recebido “milhares de migrantes e refugiados da Venezuela”. “Na América do Sul, já não há mais espaço para alternativas à democracia. É o que afirmamos no Mercosul, é o que seguiremos defendendo.”

Na noite de segunda-feira (18), Temer e Trump participaram de um jantar no qual discutiram a situação da Venezuela. O americano disse que quer que a Venezuela restaure a sua democracia e que a situação no país é inadmissível. O presidente brasileiro afirmou que houve uma “coincidência” de posições de que a pressão diplomática sobre Caracas deve continuar para que se chegue a uma solução democrática.

 

Fonte: O Sul



PUBLICIDADE